Plastinação: um método revolucionário em conservação de peças anatômicas

A plastinação é um método de preservação de espécimes biológicos, deixando-os o mais próximo de sua aparência em vida, criado pelo Dr. Gunther von Hagens, da Universidade de Heidelberg, Alemanha, em 1977. O Método é um processo pelo qual os espécimes são impregnados com um polímero, podendo ser o silicone, epóxi ou poliéster. Com esta técnica, evita-se o uso de soluções conservantes tóxicas e de odor desagradável, como o formaldeído, bem como eleva a durabilidade das peças, característica útil para as atividades de pesquisa, ensino e expositivas em anatomia.